FLORIPA 3X4 – Radilson Carlos Gomes

Floripa em 3×4

Radilson Carlos Gomes

Curadoria de Eneléo Alcides

Pensar o retrato de uma cidade para um documento de identidade – este foi o desafio apresentado por Radilson, convencido de que uma cidade é feita pelo dia a dia das pessoas que a ocupam, que a habitam, que a configuram, mais do que por suas paisagens, construções e monumentos. Para além de seus habitantes ilustres ou históricos, há milhares de rostos anônimos que governam suas ruas. Além dos nativos, uma cidade é feita de e por pessoas que a adotam, que a frequentam ou que simplesmente passam por ela.

Radilson parte da linguagem do retrato fotográfico, mas busca o sentido da fotografia de cidade, de rua, de paisagem, da fotografia documental e jornalística e, igualmente, da arte contemporânea. A exposição documenta com câmeras lambe-lambes antigas e filmes de raio-X mais de mil rostos de quem passa, vive e constrói Florianópolis. Constitui-se, assim, uma amostra significativa que revela sua diversidade étnica e cultural. Neste recorte, um quarto dos olhos que nos olham nasceu em Florianópolis, 28% vêm de outras cidades catarinenses, 41% de outras cidades brasileiras e 7% de outros países. Florianópolis não é açoriana, africana, alemã, grega ou italiana; privilegiada ou modesta; tradicional ou alternativa. O rosto que a representa é o dessa mistura típica das cidades contemporâneas, em constante transformação. E é por entre mosaicos de identidades individuais que Radilson compõe um grande retrato da Cidade de Florianópolis.